Evangelismo

Quais São Alguns Exemplos de Práticas Evangelísticas Ruins?

Dúvida
10.14.2014
  1. Falhar em compartilhar o evangelho de qualquer modo.  Uma vez que evangelizar é compartilhar o evangelho, o principal modo de fazê-lo erradamente é falhar em contar a mensagem de qualquer modo. Algumas vezes, pessoas que estão fazendo obras sociais pensam que, ao cuidar dos pobres ou ajudar os oprimidos, estão “compartilhando o evangelho sem palavras”. Elas não estão. Elas podem estar fazendo coisas admiravelmente amáveis e altruístas por outros, mas evangelizar significa contar a outros a mensagem sobre Cristo.
  2. Distorcer a mensagem.  Evangelizar fielmente significa contar a mensagem em seu todo (At 20.27), mesmo as verdades impopulares acerca do pecado e do juízo de Deus.
  3. Ensinar uma falsa mensagem em seu lugar.  Algumas pessoas que reivindicam estar pregando o evangelho estão, na verdade, pregando o seu próprio oposto, com consequências horrendas para si mesmos e para os seus ouvintes (Gl 1.6-9; 2Pe 2.1-3).
  4. Apresentar o evangelho como uma mera opinião.  É uma distorção do evangelho apresentá-lo como uma opinião pessoal que alguém pode rejeitar sem consequências reais. Evangelizar significa chamar as pessoas a se arrependerem de seus pecados e a confiar em Cristo para serem salvas da ira de Deus. O evangelho não é uma mera opinião e nosso evangelismo deve comunicar fielmente a veracidade universal do evangelho e as suas reivindicações obrigatórias.
  5. Pressionar alguém a tomar uma decisão.  Apenas Deus pode dar a fé e o arrependimento. Se nós pressionarmos as pessoas a tomarem uma decisão, elas podem tomar uma decisão que não terá qualquer valor na eternidade. Isso pode falsamente conduzir alguém a crer que se tornou um cristão por sua “decisão”, quando ele jamais se arrependeu de seus pecados nem confiou em Cristo.
  6. Focar nos detalhes.  Embora nós desejemos abordar legitimamente as questões postas pelos descrentes, passar horas debatendo o problema do mal não é o mesmo que pregar a Cristo. Não permita que discussões intermináveis o impeçam de apresentar a mensagem da cruz.
  7. Menosprezar com aspereza as questões e objeções dos descrentes.  Esse é um modo certo de ofendê-los e rapidamente pôr fim a conversas evangelísticas. Pedro nos mostra como nós deveríamos responder às questões dos não-cristãos ao escrever: “fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência” (1Pe 3.15-16).