Pregação

4 razões pelas quais você deve pregar Gênesis

Artigo
22.01.2020

Quando você pensa em qual livro da Bíblia deve ser o próximo a pregar, Gênesis pode não estar no topo da sua lista. Eu entendo o porquê. É um livro longo, com vários personagens desonestos e capítulos difíceis.

Mas são razões como essas, e algumas outras, que me levam a incentivar os pastores a pregar neste livro – sim, o livro todo, capítulo por capítulo e verso por verso. Gênesis tem sido um dos estudos que tem trazido mais refrigério para nossa congregação e para mim como pastor.

Neste artigo, apresentarei quatro razões pelas quais sua igreja se beneficiaria com uma série de exposições através de Gênesis.

Mas antes de chegarmos a essas razões, quero filtrar todos os cinquenta capítulos em uma xícara de café expresso, resumindo o livro inteiro em uma única ideia principal.

E aqui está: Gênesis conta a história de um Deus que cria tudo do nada para abençoar seu povo e glorificar a si mesmo.

1. Gênesis é fundamental para entender o restante da Bíblia

Gênesis serve como base para o restante da Bíblia. Em seus versos iniciais, o escritor (Moisés) nos convida a espiar por cima do muro para um tempo em que nada existia, exceto Deus, em toda a sua feliz glória trinitária (João 17). Ali, naquele momento, o Deus todo suficiente ordena a existência do universo. Tudo o que existe, existe somente por causa desse ato soberano de nosso independente, Deus criador.

Gênesis também nos apresenta a ideia bíblica sobre alianças. Deus faz juramentos específicos, com obrigações específicas, para Adão, Noé e Abraão. A partir de Gênesis em diante, essas alianças servem de base para a vida dos fiéis. Elas nos lembram as promessas imutáveis de Deus em meio às decepções chocantes e pesadas de nosso mundo caído.

Vemos essas sementes da promessa começarem a brotar na vida dos patriarcas. Elas se espalharam por toda a história de Israel e finalmente floresceram em uma folhagem de tirar o fôlego através do Senhor Jesus Cristo. Tome, por exemplo, a promessa de que a semente da mulher entraria em guerra e derrotaria a semente da serpente (Gn 3.15). Enquanto prega em Gênesis, você pode apresentar aos membros da igreja a batalha espiritual fundamental entre s serpente e s semente, equipando-os melhor para verem como ela se intensifica ao longo da história. Não é somente no Novo Testamento que nos maravilhamos com a verdadeira semente (Gl 3.16) e com nosso privilégio de ser abençoado pela fé, assim como nosso precursor Abraão (Gl 3. 9, 14, 29).

Além disso, Genesis apresenta uma história fundamental. Como o livro dos princípios, muito do que lemos no restante da Bíblia se desenvolve a partir de Gênesis. Depois de pregar através de Gênesis, encontrei conexões que aprofundaram minha leitura pessoal da Bíblia. Ouvi o mesmo da família da igreja.

Finalmente, Gênesis é essencial para explicar termos teológicos fundamentais, como a liderança federal de Adão, depravação total, justificação pela fé e providência de Deus. Semana após semana, as histórias de Gênesis ilustram essas doutrinas.

Simplificando, o valor de Gênesis, como fundamento, é inestimável.

2. Gênesis avança consistentemente sobre o que chamo de “questões de primeira página”

Ao discutir a pregação com colegas pastores, eles frequentemente lamentam a dificuldade em encontrar conexões entre o texto e a nossa vida contemporânea. Pregar através de Gênesis não tem esse problema. Pareceu-me que todo sermão tinha um paralelo contemporâneo óbvio. Considere a lista a seguir e me diga se estou falando sobre o jornal ou o livro de Gênesis: origem do universo, criação versus evolução, dignidade humana, gênero, casamento, pecado, decepção, ganância, assassinato, abuso, guerra, imoralidade e opressão.

A cada domingo, eu sentia que, precisava, de fato, reduzir as conexões contemporâneas ou históricas. Ao entrar sabiamente nessas questões de primeira página, os pregadores têm o privilégio de moldar a visão de mundo da congregação. Em vez de ir atrás das questões desconectadas da narrativa bíblica, Gênesis ajudou a mim e à minha igreja a ver as questões fundamentais que transcendem as eras e a geografia. Também vemos a verdadeira condição humana e a única resposta divina. É um grande privilégio, para o pregador, enquadrar a doutrina e pendurá-la nas paredes da mente de nosso povo. Genesis oferece muitas molduras, pregos e Imagens. Como pregadores, precisamos apenas trazer o martelo.

3. Gênesis é uma narrativa lindamente escrita

Eu não cresci apaixonado por leitura ou filmes. Mas desde que me tornei pastor, aprendi a apreciá-los melhor. Uma razão para isso é simples: as pessoas, para as quais prego, amam histórias de amor. As narrativas atraem nosso povo à medida que cativam a imaginação e envolvem os sentidos.

Gênesis é uma história magistralmente contada. Ele usa conflitos para acelerar o enredo, revelar fraquezas e trazer resoluções surpreendentes. Pense por um momento sobre o engano na vida de Jacó. Quando seus filhos o enganam, o enganador se torna enganado.

Ou o que dizer dos traços divinos na vida de José? Seus irmãos se enfurecem de ciúmes e planejam vendê-lo como escravo. Mas, surpreendentemente, são precisamente essas tramas e conspirações pecaminosas que os fazem, afinal, realmente se curvarem diante dele. Os leitores de Gênesis são convidados a ver o drama de seus irmãos sendo secretamente testados por José. Prendemos a respiração, e soltamos o ar com o anúncio de José: “Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito”. (45. 4).

Não se passou uma semana em que eu não parei e disse para mim mesmo: “Uau, isso é lindo”. Pregue Gênesis porque seu povo ama histórias – e há poucas histórias mais bem escritas do que essa.

4. Gênesis relativiza nossas vidas sem esvaziá-las de significado

É fácil acreditar que estamos vivendo no momento mais importante e único da história. Felizmente, Gênesis nos protege dessa miopia e ajuda a nos mostrar o cenário geral. Vemos que a vida é curta e somos meros pontos da história humana. Ao lermos as genealogias e examinarmos a vida dos patriarcas, vemos pessoas indo e vindo, indo e vindo, indo e vindo. Ao estudarmos essas histórias antigas, que levam séculos para se desenrolar, de repente nossas vidas parecem relativamente insignificantes à luz do Deus eterno, imutável e infinito.

Ao mesmo tempo, nossas vidas não são esvaziadas de significado. O mesmo Deus que criou, elegeu e fez promessas para nós, nos deu um significado irrevogável ao nos criar à sua imagem divina. Além disso, ele nos recebeu em aliança com ele, pela qual participamos de suas bênçãos.

Simplificando, o livro de Gênesis nos mostra a importância das promessas de Deus na vida do povo de Deus, enquanto viajam para o lugar de Deus, a Terra Prometida.

Comentários Favoritos

Creation and Blessing, Allen Ross. Ross é sempre útil para os expositores por sua atenção à estrutura geral das passagens, temas teológicos e considerações úteis para aplicação pessoal. Esse recurso é especialmente útil para os que pregam através do livro de Gênesis.

Word Biblical Commentary (Parts 1 & 2), Gordon Wenham. Como em seus outros comentários, os professores se beneficiarão do estudo conservador e da cuidadosa exegese. Emparelhado com Ross, o pregador estará bem servido com Wenham.

The New American Commentary (Parts 1 & 2), Kenneth Matthews. Toda semana, eu era ajudado por consultar Matthews. Interagindo com a miríade de questões que surgem em Gênesis, Matthews era um guia ponderado e confiável.

Genesis (Tyndale Old Testament Commentaries), Derek Kidner. Como os demais da série, este volume é acessível e cheio de muitas pepitas devocionais e textuais. A capacidade de Kidner de ser conciso e claro é um trunfo para quem se interessa pelo livro de Gênesis.

Kingdom Prologue, Meredith Kline. Kline fornece uma teologia bíblica que é especialmente útil para refletir sobre os principais temas de Gênesis, como aliança e reino. Isso é útil para os expositores que traçam o desenvolvimento escatológico desses temas.

Calvin’s Sermons on Genesis, João Calvino. Eu amo e sempre me benefício dos comentários de Calvino, mas seus sermões são diferentes. Ao ler seus sermões de Gênesis, fui ajudado por suas observações, meditações e cuidadosa aplicação pastoral em cada porção.

 

Original: 4 Reasons You Should Preach Through Genesis.
Tradução: Paulo Reiss Junior.
Revisão: Filipe Castelo Branco.

Mais articles marcado como: